Som Nordestino

Em um lugar mundano

Vilarejo bem pequeno

Com um ar campesino

De Marias e de Miguéis.

Tocava meu som insano

Com calor, mel e veneno

Assim meio clandestino

Com o quê dos candomblés.

Mas foi chegando um fulano

Acho até que era Chileno

Com um sotaque cretino

Querendo que eu toque Jazz.

.

Pero que pasa hermano! Que isso não é bueno,

Só toco o som Nordestino nos nossos arrasta pés.

.

Era um simples ser humano

Mas eu me sentia pleno

E tinha o mesmo destino

Dos grandes menestréis.

No meu cotidiano

Entre meu povo moreno

A vida de um peregrino

Tocando por uns merréis.

Mas chegou um Italiano

Fazendo logo um aceno

Com um olhar traquino

Foi pedindo um Bluegrass.

.

Você pode ser Romano, mas isso aí é obsceno

Só toco o som Nordestino nos nossos arrasta pés.

.

Ninguem era puritano

Mas o clima era ameno

Até que era bem fino

Tocar naqueles bordéis.

Voltava todo o ano

Debaixo de sol e sereno

E do público feminino

Ganhava mais do que cafunés.

Mas me entra um Muçulmano

Descendente de Romeno

Querendo Blues genuino

Com solos de oboés.

.

Que é isso, carcamano Isso dá dor no duodeno

Só toco o som Nordestino nos nossos arrasta pés.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s